Salve vidas, diga não ao aborto

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

        O aborto é um tema bastante polêmico no Brasil principalmente por não ser legalizado. O tema gera na sociedade um teor de discussões e exposição de opiniões que variam de acordo com a religião, os valores, os princípios e a formação escolar e familiar de cada pessoa.

        Do meu ponto de vista, a prática do aborto é errada por ser é um ato que impede a chance de uma nova vida se prosperar, onde a principal vítima é uma pessoa que não tem como se defender. O aborto é um fato que deve ser levado a sério por se tratar de um crime que, se formos analisar, se trata de um assassinato. Na sociedade atual, estamos vivendo um quadro em que as pessoas, influenciadas pela mídia, não se preocupam tanto com o próximo. Se formos levar esta linha de raciocínio para frente, podemos pensar que as mães que abortam hoje (não em todos os casos) são egoístas e só pensam em si mesmas, elas não querem saber da vida que está se desenvolvendo em seu útero.

        Vejo o aborto como algo que não deve ser aceito, só em casos de estupro ou risco de vida da mãe, como ocorre na nossa constituição. Hoje em dia, com as atuais facilidades, o aborto pode ser evitado através do uso de preservativos nas relações sexuais, não ocorrendo o risco de uma gravidez indesejada. No caso de estupro, tudo pode ser resolvido através do ato de doar a criança para as instituições de adoção.

        É preciso que tenhamos responsabilidade com nossos atos sempre, para que não tenhamos que pensar em aborto jamais. Devemos ter consciência de que, no aborto, o que está em jogo é uma vida, então faço um apelo as mulheres: se preservem e, se por acaso ocorra um acidente e você não queira a criança, doe-a para um orfanato.

Marcos Vítor

Comments

One response to “Salve vidas, diga não ao aborto”
Post a Comment | Postar comentários (Atom)

marcos disse...

Devemos informar, informar, informar e informar. Fala-se muito de sexo e pouco de sexualidade. Legislar, responsabilizar as pessoas e punir sempre que necessário. É assim que se passa ao longo da infância e da adolescência com as regras, princípios e valores que os pais impõem e transmitem aos filhos. É assim que se estrutura, é assim que se cresce. E isto tanto é válido para o desenvolvimento de uma criança como para o desenvolvimento de um país.
by Marcos Vítor

10 de dezembro de 2010 05:37

Postar um comentário